sábado, 8 de maio de 2010

e cinzas


Do Mundo dos Fracos –

Téo Malvine –

. Por onde andará o garoto esquisito com semblante triste, com suas idéias cinzas, sua cara de preguiça, suas verdades nunca ditas, escorado nas esquinas? Por onde andará a dificuldade de dialogo?

. De onde terá saído em seu olhar a alegria, em sua boca os versos cegos bem vistos, sempre encharcada de bebida, de entre seus dedos, boca e narinas a fumaça do alcatrão, dos dentes aquele sorriso de satisfação agora já esperado, do céu de sua boca o nó da garganta gritado com gosto e letras felizes de músicas tristes? Por onde andará suas cicatrizes?

. Onde terá posto a timidez, o cabisbaixo, o calado, a cruz colada à sua costa magra, pesando no ombro sofrido, suas chagas em carne-viva, o cálice de tristeza do menino cinza que hoje grita altivo: _Me queiram, me desejem, me amem.. Amém!

6 comentários:

O Espelho de Eva disse...

Certamente que este menino não mais existe, fez-se homem e talvez alimente-se de outros vícios, ou terá adquirido virtudes? Ou serão seus vícios suas virtudes? O cálice não ficará vazio por mais tempo, as horas que escorrem pingam nele gotas do por vir, e transbordará a chegada do homem que far-se-a menino ao sorver de sua água.

Hannah disse...

Acho que nunca conheci esse menino. Faz-me muito feliz saber que o Téo que conheço e que tanto gosto é um Téo diferente, ou, na verdade, o mesmo Téo, mudado.

safira disse...

nem sabia que tu já tinha sido um menino cinzento, magrelo, tímido e sofrido! quando penso na tua infância, penso em uma infância farta, e em uma criança gorda e mimada :p amo vc, malvine

safira disse...

sobre a tua necessidade de aceitação...é! isso eu já sabia!

Marimprovavel disse...

Obrigada pela sinceridade kkkkkkk
Não sei íntimo é bem a palavra, na verdade parece combinar mais com o seu texto, de qualquer forma jogar fora não adiantaria nada (na verdade postar me parece ter um fim melhor).

Marimprovavel disse...

Enfim, um bom crítico pra me encher o saco xD