terça-feira, 13 de maio de 2008

Um Vencedor.

Téo Malvine -


Vou deitar e descansar meus abraços cansados de carregar meu mundo, tão cheio de sujeira e luxo, tão pesado e absurdo. Minha mente atrasada e fraca ainda vai se exilar de tudo. Meus nervos já saturados, por não ter mais teus abraços, vão dar curto circuito.

Queria, como um gladiador dentro da arena, cortar a garganta do amor, fazer de refém tua inocência e sair apenas como vencedor. Sem ter que levar a culpa, sem ter que carregar a dor, te deixando sem meu amor e nua, apenas com o vencedor.

Estou cansado de não choras as magoas, mas as lágrimas não caem e nunca caíram. Parece que em tua presença evaporam, mas esperar estar ao teu lado é como esperar um banho de chuva em meio ao sertão quente e seco, onde o sol não evapora as lágrimas, mas deixa um coração pálido corado e com tanto calor que esquece a tua vida com faz um vencedor.

Mas aqui os dias são frios e o meu coração como a neve, pálido e gelado, apenas remoendo as mágoas sem poder chorá-las, pois estão congeladas em meus olhos alagados de tristeza acumulada. E eu, como um gladiador derrotado, sou apenas perdedor.

P.s.: Queria agradecer pelas visitas pelos comentários e pedir desculpas pelo “S” engolido na primeira postagem.

Aquele abraço.

Um comentário:

Nayane Sayonara disse...

mininoo..adoreii mais ainda esse..
melhor q o outro!!!
bjooo
=]