quarta-feira, 14 de maio de 2008

A Casa da Poesia.

Téo Malvine -

Casa de fantasmas
tão pouco adormecidos,
palavra por palavra
declamam os seus livros.

Morreram todos jovens,
sofrendo de amor,
perdendo todo polém
da mais bela e pura flor.

Casa de poeta,
poeta e poesia,
poesias secretas
para as moças mais bonitas.

Casa de fantasmas,
fantasmas atormentados.
Todos morreram de amor,
mas nunca foram amados.

08/03/07 00:17

Faz tempo, em?

Um comentário:

leticia disse...

ele q me explicou essa poesia complexa por d+.....+ depois q entendi vi q ela eh mto bonitaa....e triste....
bjaum