sábado, 11 de agosto de 2012

Espelho D'Água

Ela odeia a ideia de estar em minhas mãos
Mas adoraria cair em meus braços
Entre mil abraços em um só colchão
E se perderia, ora neste espelho azul
Ora neste mesmo espelho verde
Tão difícil de se distinguir.

Eu sou um navio e ela é o meu timão
E o vento que sopra minhas velas
Se eu digo isso no ouvido dela
Ela quer se desmanchar
Se desfazer feito poeira no ar
Sumindo entre meus dedos
Fugindo dos abraços.

Um comentário:

Heitor C;ardoso disse...

Ela é o teu timão?
E O COURINTIANS MANOOOW!?