quarta-feira, 31 de agosto de 2011

There Is a Light That Never Goes Out


Eu preciso sair por outras vias, caminhando com outras pernas que não as minhas, eu preciso me sentir mais vivo. Há uma luz que nunca se apaga, há uma luz que se esconde em teus olhos e eu a encontrei.

Eu preciso me sentir contigo... eu preciso me sentir sozinho com tuas mãos no meu rosto pra me enganar, eu preciso de uma ilusão. Há uma luz que nunca se apaga, há uma luz nos teus olhos de escuridão. Há uma luz que eu quero buscar, mas minhas mãos não alcançam.

Lembrando dos teus olhos e do teu sorriso têm um milhão de coisas que eu prefiro esquecer. E de repente capotar naquele fusca azul talvez nem fosse um jeito tão ruim de morrer, há uma luz que nunca se apaga e eu estaria mergulhando nela, eu bem que poderia dormir em teus olhos e eu nunca mais precisaria voltar para casa outra vez.

Inspirado em The Smiths... e em mais alguma coisa que eu não lembro.

7 comentários:

brena disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
TéoMalvine. disse...

predileta*

Tiago Máci disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Brena Coimbra Fonseca disse...

Minha poesia, chupem que é pra mim. Vcs não tem. Só eu.

Brena Coimbra Fonseca disse...

Minha poesia, chupem que é pra mim. Vcs não tem. Só eu.

Brena Coimbra Fonseca disse...

Não lembra o caralho.

Brena Coimbra Fonseca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.