domingo, 21 de junho de 2009

Só mais uma -


Ampulheta –

Téo Malvine –

. Enquanto cai a chuva, enquanto bolas de fogo não caem, enquanto sopra o vento derrama o pó, e já quase não tenho o que derramar.

. Vou passar do tempo pro tempo passar por mim, e um dia, quem sabe, enfim morrerei mais tarde do que deveria.

. E enquanto um cone vomita enchendo o outro de poeira, meu mundo gira em torno de tesouros escondidos na areia, cheios de estórias pra dormir e outros tipos de besteira.

. Enquanto cai a chuva me escondo em lugares sujos, por de trás de muros e murais, tentando driblar o tempo pra ver se minha eternidade dura um pouco mais.

. Conquistei o tempo correndo contra o vento em sentido anti-horário, regredindo a cada passo. Foi assim que mergulhei de cabeça nesse redemoinho de areia e tanto nadar no pó virei poeira.

Um comentário:

elis disse...

muito perfeito... como sempre! amo seus textos e você sabe disso...