terça-feira, 19 de maio de 2009

Só mais uma -



Quando Cai a Noite –

Téo Malvine –

. Cabe à noite me engolir quando a degusto, quando os pensamentos saem para passear e se debruçam em forma de carbono sobre o papel em branco.

. Cabe a mim os fazer sentido, lhes fazer sentir o que sinto ali quando lêem aqui. Os organizar como peças de um quebra-cabeça onde as gravuras apenas parecem possuir algum nexo.

. Quando cai a noite, se afugenta o sol, mas nem sempre a lua vem. Quando a chuva cai, cai também o calor, acendo o meu cigarro e apago as luzes.

. Me sinto até mais lúcido quando não há ninguém, consigo perceber minha privacidade. Me sinto mais tranqüilo quando cai a noite e bem no fundo eu sei que o sono não vai me derrubar.

Um comentário:

Bell Vilanova disse...

quando a noite cai eu me transformo do meu eu fantasia! *___*